IEB nas maratonas digitais (hackathon e edit-a-thon)

IEB participa de maratonas digitais (hackathon e edit-a-thon)

 

Neste ano de 2020, temas ligados à saúde se impõem em todas as atividades e lugares. Reclusas, as pessoas estão se adaptando e aprendendo com as inovações, seja no trabalho, nas formas de consumo, nas produções profissionais ou nos relacionamentos de forma geral. Na área acadêmica não está sendo diferente.

No primeiro semestre, o Instituto de Estudos Brasileiros teve como iniciativa a criação e a publicação de seus podcasts diários (www.ieb.usp.br/podcast), além dos IEBinários mensais (www.ieb.usp.br/iebinario) sobre seus acervos, pesquisa e a produção científica. Tudo é feito e pensado para atingir – preferencialmente à distância – tanto o público habitual do IEB como também um público novo e diverso.

Entendemos que devemos ampliar o alcance de nossa atuação, e para tanto devemos nos abrir às inovações e às novas ferramentas de comunicação, aprendendo com elas.

A partir do segundo semestre de 2020, virão outras iniciativas: o foco será em dados abertos, conceito cuja ideia é de que dados referentes à atividade intelectual devem estar abertos e disponíveis para que todos usem e publiquem, sem restrições de direitos autorais, patentes ou outros mecanismos de controle, promovendo a transparência das informações e a participação dos cidadãos. Dentro desse recorte, virão também a ciência aberta (modelo de prática científica que, em consonância com o desenvolvimento da cultura digital, visa à disponibilização das informações em rede de forma oposta à pesquisa fechada dos laboratórios) e o acesso aberto (disponibilização on-line e sem limitações dos resultados de investigação científica). As inovações que estão por vir trarão benefícios ao IEB, à USP e, principalmente, à pesquisa e à sociedade de maneira geral.

Podemos citar ainda para este segundo semestre a participação inovadora numa maratona digital ou hackathon, por meio de uma parceria com o Goethe-Institut e com a C0d1ng Da V1nc1 (Coding Da Vinci), da Alemanha, através da vertente Abre-te Código aqui no Brasil.

Hackathon: este termo relativamente novo é a junção das palavras hacker e marathon, ou seja, nada mais é do que uma “maratona controlada de hackers da cultura”. Essa maratona envolve programadores experientes e profissionais das áreas de comunicação, história, psicologia e outras. Trata-se de um processo pelo qual o IEB cede de forma espontânea uma seleção de seu acervo (de domínio público) a um grupo do hackathon, que, baseado no escopo enviado, criará um software inovador e de interesse público. O grupo tem liberdade de criação e apresentará esse resultado focado na expansão do acesso ao patrimônio.

Uma outra iniciativa é a parceria com a Creative Commons (CC), organização sem fins lucrativos que permite o compartilhamento e o uso da criatividade e do conhecimento através de licenças jurídicas gratuitas, ramificação da Wikimedia e da Wikipédia. Essa empresa parceira cria ações que também convergem em maratona on-line, o edit-a-thon, que é uma reunião de editores que também trabalham a partir de um pacote de dados selecionado pelo IEB para a realização de uma organização e edição da informação por múltiplas mãos.

A realidade hoje nos leva também para o mundo dos games, por meio de parcerias com a Escola de Comunicações e Artes da USP e com a Games for Change (EUA).

Como este grande projeto está em fase inicial, será detalhado em breve. A primeira fase da parceria do IEB com as “Wikis” pressupõe a disponibilização de um primeiro conteúdo inédito, existente somente no IEB e que será apresentado em momento adequado.

Estas iniciativas surgem em um período difícil de adaptação, em que muita coisa nova está por vir. Estamos hoje em um momento crucial da história – precisamos colaborar eficientemente para responder a uma emergência global sem precedentes. A frase “quando compartilhamos, todo mundo ganha” é mais oportuna do que nunca.

[texto de Pedro B. de Meneses Bolle / Chefe técnico da Divisão de Apoio e Divulgação – IEB/USP]

veja também mais informações no Informe IEB n.12, de setembro de 2020

 

ATUALIZAÇÃO 12/11/2020

As duas equipes que escolheram o dataset do IEB foram selecionadas para a segunda fase da competição. São elas Slam de corda e Xilogoritimo. Estamos torcendo para que sejam premiadas em cerimônia marcada para ocorrer no dia 12 de dezembro de 2020.