IEB0259- Canção Brasileira, Tradições Populares e Mundialização da Cultura

Turma 1  2ª feira | das 18h30 às 22h30 | 2º andar – sala (auditório 2) – inicio em: 06/08/2018

Turma 2 – 3ª feira | das 14h às 18h | 2º andar – sala (auditório 2) – inicio em: 07/08/2018

Local: IEB –  Edifício Brasiliana

Prof. Dr. Walter Garcia da Silveira Junior

Vagas Oferecidas Por Turma:  40 Alunos Regulares USP ,  02 Alunos Especiais

Não haverá oferecimento de vagas para Alunos do Programa Universidade Aberta à 3ª Idade

Programa da disciplina

Objetivo:

Analisar e interpretar a produção brasileira de canções populares pesquisando as relações entre música, literatura oral, arte e sociedade no âmbito dos processos de globalização econômica e mundialização da cultura. Estudar a realização das obras quando inseridas no ritual religioso ou na festa popular de certa comunidade e quando transformadas em mercadoria. Investigar as mudanças do mercado fonográfico hegemônico no quadro das novas tecnologias de produção, difusão e consumo, bem como as alterações provocadas por este quadro na estética das obras. Pesquisar as produções comerciais com vigência à margem do mercado cultural hegemônico.

Conteúdo:

• Cultura tradicional e vida comunitária: a canção, a música e a dança nos rituais religiosos e nas festas populares; os cantos de trabalho e os jogos.
• Registros da canção popular tradicional desde Mário de Andrade e a Missão de Pesquisas Folclóricas.
• A configuração do mercado fonográfico hegemônico no Brasil da década de 1980 e sua expansão na década de 1990.
• A transformação da canção de tradição oral em mercadoria no âmbito dos processos de globalização econômica e mundialização da cultura.
• Canções “de raiz”, mangue beat (bit) e world music.
• Ritmos musicais importados no Brasil e ritmos brasileiros de exportação.
• Racionais MC’s e Gog: a violência da sociedade contemporânea e o revide do rap.
• A Barca: reflexões sobre a pesquisa da tradição oral e a criação artística.
• Canção popular e jingle, diferenças e aproximações.
• A influência das novas tecnologias no processo de realização das obras fonográficas.
• Relações entre a canção popular (tradicional e comercial) e outras formas culturais nos meios tecnológicos de comunicação.
•Produções comerciais à margem do mercado hegemônico da canção.