IEB5048 – Celso Furtado Intérprete do Brasil: Trajetória, Método e Obra

Prof. Dr. Alexandre de Freitas Barbosa
Prof. Dr. Alexandre Macchione Saes

Início em: 01/09/2020

3º feira | 19h00 às 23h00

A disciplina será ministrada de forma totalmente remota.


Objetivos:

O objetivo do curso é mesclar trajetória, obra e método, de maneira a captar os conceitos e interpretações de Furtado em fluxo, ou seja, partindo da sua historicidade. Parte-se ainda do pressuposto que qualquer perspectiva de “atualização” do seu legado requer a compreensão do seu método histórico-estrutural, de modo a oferecer interpretações alternativas aos desafios vividos pela sociedade brasileira na sua contemporaneidade. Portanto, a ementa combina um mergulho na sua trajetória a partir dos seus “anos de formação”, aproveitando-se da sua obra autobiográfica em três volumes e dos “diários intermitentes”, publicados em 2019. Mas não se detém a avaliar o seu percurso que compreende o doutorado na Sorbonne, a atuação na CEPAL e SUDENE, e depois no Ministério do Planejamento, os anos de exílio como professor em universidades do exterior, e o regresso ao Brasil quando participa da transição democrática e estrutura o Ministério da Cultura. As diversas atividades exercidas por Furtado se nutrem de suas utopias e projetos de transformação do Brasil, que transparecem nas suas obras. Dessa forma, a trajetória não pode ser traçada “fora” das obras, ao passo que as obras respondem às motivações políticas de cada momento do país e do contexto internacional, sendo escritas a partir da posição que o intelectual ocupa nesse quadro mais amplo. O curso prima pela interdisciplinaridade, como não poderia deixar de ser, no caso desse intelectual que logrou introduzir uma perspectiva histórica no tratamento das estruturas econômicas, incorporando questões e abordagens que transcendem o universo da economia, e adentram nos territórios da geografia, da cultura e da sociedade. Vale ressaltar que, por mais que Furtado tenha sido objeto e sujeito de várias teses e livros desde os anos 2000 – que fazem parte da bibliografia do curso; o seu método, horizonte de análise, assim como os conceitos por ele cunhados e aprofundados ao longo de sua vida, não têm “praticados” em sua integralidade pelos economias e cientistas sociais da universidade brasileira, muitas vezes circunscritos à suas especialidades acadêmicas. Em síntese, Furtado tem sido mais citado do que acionado como ponto de partida para novas formulações teóricas, históricas e propositivas.

 Conteúdo:

Aula 0 – Os vários Furtados e o acervo no IEB (apresentação do curso)
Aula 1 – As interpretações do Brasil e Celso Furtado
Aula 2 – O jovem Furtado (1938 a 1948)
Aula 3 – A Cepal, Furtado e o estruturalismo latino-americano
Aula 4 – Furtado e as correntes do pensamento econômico brasileiro
Aula 5 – “Formação Econômica do Brasil” e o método histórico-estrutural
Aula 6 – A SUDENE e a invenção do Nordeste
Aula 7 – Da “Pré-Revolução Brasileira” à “Dialética do Desenvolvimento”
Aula 8 – Os anos do exílio e “O Mito do Desenvolvimento Econômico”
Aula 9 – “Criatividade e dependência”, o antilivro acadêmico
Aula 10 – Para além da economia: pensando a sociedade e a cultura no Brasil
Aula 11 – Furtado e a transição democrática
Aula 12 – O pensador da política
Aula 13 – É possível “atualizar” a perspectiva furtadiana para o Brasil de hoje? (aula de encerramento com seminários e debate com os alunos