IEB5056 – Arte Brasileira nas Décadas de 1960 e 1970

Prof. Dr. Luiz Bagolin

Início em: 13/09/2022

3º feira | das 18 às 22h

Local: Sala 11 – IEB 

As aulas  serão presenciais

Duração: 6 semanas

O presente curso pretende analisar algumas das produções artísticas brasileiras das décadas de 1960 e 1970, notadamente aquelas que foram frutos de um consciente engajamento político e ideológico sem deixar de mirar os pressupostos da arte internacional do Pós-Guerra.

Conteúdo (Ementa)

1. O eclipse do modernismo na década de 1940 e a emergência de novas classes sociais no Brasil. O desenvolvimento urbano e dos meios de comunicação na década de 1950. O Grupo Frente e a atuação crítica de Mário Pedrosa em favor da abstração geométrica.

2. O Neoconcretismo no Rio de Janeiro, a Tropicália e a Nova Objetividade: Ferreira Gullar, Lygia Clark e Hélio Oiticica.

3. Arte Conceitual e Happenings: os limites das linguagens artísticas e as tentativas de subversão da ideia de arte como mercadoria. O Novo Realismo de Pierre Restany e o “Manifesto do Rio Negro”.

4. O movimento estudantil de maio de 1968, a “Sociedade do Espetáculo” de Guy Debord. Minimalismo, Op Art, Arte Pop inglesa e Norte-Americana e suas correspondências no Brasil: Rubens Gerchman, Carlos Zílio, Carlos Vergara, Claudio Tozzi, Glauco Rodrigues, Escosteguy, Antonio Dias, Geraldo de Barros, Wesley Duke Lee, Grupo Rex e Escola de Arte Brasil.

5. Arte como guerrilha cultural, segundo Frederico Morais: Antônio Henrique do Amaral, Arthur Barrio, Cildo Meirelles, Waltercio Caldas, Lygia Pape, Paulo Bruscky. A charge política: O Pasquim, Henfil, Chacal e Ziraldo.

6. A institucionalização das posições pós-vanguardistas: a arte na universidade, Júlio Plaza, Regina Silveira, Donato Ferrari, Nelson Leirner. Walter Zanini, o MAC/USP e a criação da Escola de Comunicações e Artes no início da década de 1970, em São Paulo.